À revista Veja, ele admite não ter assimilado a perda: “Não sei como descrever a sensação de jogar terra sobre o caixão de um filho”

uase dois meses após a morte do filho Danilo Feliciano de Moraes, o ex-lateral da Seleção Brasileira Cafu ainda tenta lidar com a perda. Em entrevista à Revista Veja, o pentacampeão mundial revelou que leva flores ao cemitério a cada cinco dias.

Danilo, 30 anos, morreu após sofrer um infarto em 4 de setembro, quando jogava futebol. Cafu conta que tentou socorrer o filho mais velho. Foi ele quem o carregou no colo, o colocou no carro e encaminhou ao hospital. O esforço, porém, não foi suficiente para salvá-lo.

“Ainda não assimilei o fato de que enterrei um filho. Vou ao cemitério a cada cinco dias, não tive coragem de entrar no quarto dele e nunca mais pisei no campo onde tudo aconteceu”, conta Cafu, à revista Veja.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Brasil
Comentários estão fechados.

Leia também

Família é presa após ser flagrada com computadores roubados dentro de casa em Salto

Equipamentos roubados por família de Salto — Foto: Divulgação/ Polícia Militar Um adolesce…