Quer receber as principais Notícias de Indaiatuba e região pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.
Aeroporto Internacional de Viracopos registra áreas de risco devido concentração de aves

Aeroporto Internacional de Viracopos registra áreas de risco devido concentração de aves

Um mapeamento feito pelo Aeroporto Internacional de Viracopos aponta áreas de concentração de aves que podem causar riscos nas operações de pouso e decolagem. O relatório inclui 11 cidades em um raio de 20 km a partir do centro da pista de pouso e decolagens de Viracopos.

As cidades que fazem parte da Área de Segurança Aeroportuária (ASA) são Campinas (SP), Elias Fausto (SP), Hortolândia (SP), Indaiatuba (SP), Itupeva (SP), Jundiaí (SP), Louveira (SP), Monte Mor (SP), Sumaré (SP), Valinhos (SP) e Vinhedo (SP).

O objetivo do levantamento é alertar as administrações desses municípios para a redução dos pontos de descarte e acúmulo de lixo que possam atrair aves que venham a colidir com os aviões e causar acidentes.

Lixo é principal causa

Só em 2018 foram registradas 65 colisões entre aviões e aves no entorno do aeroporto. Dessas, quatro geraram danos às aeronaves e duas foram comprovadamente causadas por impactos com urubus. Nos outros casos a espécie não foi identificada.

Colisão com aves em Viracopos causa estragos em aeronaves — Foto: Reprodução/EPTVColisão com aves em Viracopos causa estragos em aeronaves — Foto: Reprodução/EPTV

Colisão com aves em Viracopos causa estragos em aeronaves — Foto: Reprodução/EPTV

No total, 31 pontos de descarte com risco de atração de aves foram identificados pelo relatório, com destaque para nove locais de descarte recorrente de resíduos que ficam próximos às duas cabeceiras da pista de Viracopos.

Outros dois pontos indicam atividades de risco – uma fábrica de fertilizantes e um aterro sanitário. Vinte pontos de descarte potencial também foram identificados.

Risco de queda

De acordo com o relatório o principal ponto que tem causado problemas é o Aterro Delta A, que fica a 10 km do aeroporto. Apesar de ser legalizado e controlado, possui grande quantidade de resíduos que continua atraindo um número preocupante de urubus-de-cabeça-preta.

O voo do urubu alcança até 3 mil metros de altura e o choque de uma ave de 1,5 quilo contra um avião a 300 km/h corresponde a 7 toneladas de impacto.

O voo do urubu alcança até 3 mil metros de altura e o choque de uma ave de 1,5 quilo contra um avião a 300 km/h corresponde a 7 toneladas de impacto. — Foto: Reprodução/EPTVO voo do urubu alcança até 3 mil metros de altura e o choque de uma ave de 1,5 quilo contra um avião a 300 km/h corresponde a 7 toneladas de impacto. — Foto: Reprodução/EPTV

O voo do urubu alcança até 3 mil metros de altura e o choque de uma ave de 1,5 quilo contra um avião a 300 km/h corresponde a 7 toneladas de impacto. — Foto: Reprodução/EPTV

“Há muito risco de uma aeronave cair. Além disso há também os riscos do dia-a-dia, os problemas operacionais que isso causa. Quando há uma colisão, mesmo que sem dano muito grande, a aeronave tem que retornar pro aeroporto, os passageiros têm que descer, têm que ser realocados e isso impacta muito nos custos das empresas aéreas e inclusive nas operações dos aeroportos”, explica a gerente de segurança operacional de Viracopos, Rosa Brollo.

Descarte clandestino

Os outros cinco principais pontos de descarte de lixo que têm causado problemas ficam na Rua Sérvulo Henrique Barreto no Jardim São João, em Campinas. O local fica próximo à cabeceira da pista e do aeroporto.

Lá, há um ponto de descarte clandestino de lixo. Os próprios moradores da região se preocupam com a situação. “As pessoas não têm responsabilidade. Tem lixo, vaso sanitário, capim, mato, sofá velho, colchão”, reclama a auxiliar de limpeza Vânia Pedro.

Posição da prefeitura

A Prefeitura de Campinas informou que recebeu os documentos e que a limpeza nos pontos de descarte de lixo ao redor do aeroporto é feita frequentemente. Além disso, pediu mais consciência por parte dos moradores.

Aterro Delta A é principal ponto de concentração de aves que podem causar acidentes em Viracopos — Foto: Reprodução/EPTVAterro Delta A é principal ponto de concentração de aves que podem causar acidentes em Viracopos — Foto: Reprodução/EPTV

Aterro Delta A é principal ponto de concentração de aves que podem causar acidentes em Viracopos — Foto: Reprodução/EPTV

Sobre o Aterro Delta A, a administração informou que funciona como ponto de transferência, recebendo o lixo que depois será encaminhado ao aterro de Paulínia. A partir do próximo mês uma obra deve ser feita no local para abrigar os resíduos e evitar a atração de aves.

Sobre a empresa de fertilizantes, a Cetesb informou que não há registro de empresa licenciada naquele endereço. A EPTV, afiliada da TV Globo, não conseguiu contato com os responsáveis.

Receba as “Notícias De Indaiatuba’ no Seu WhatsApp Os leitores que solicitarem o serviço gratuito irão receber, direto nos seus aplicativos, as principais notícias do dia. Estar sempre conectado aos aplicativos de mensagens instantâneas, como o WhatsApp, não significa estar desinformado. Com o Notícias de Indaiatuba, você pode receber diariamente as principais notícias do dia no seu celular. Para participar, basta adicionar nos seus contatos o número (19) 98122-4163 e enviar uma mensagem pelo WhatsApp, enviando a palavra “Notícias de Indaiatuba” (quem já é adepto do serviço continuará recebendo as notícias pelo número divulgado anteriormente). O esquema de envio será via lista de transmissão. Isso significa que os leitores que optarem por receber o conteúdo só serão notificados pelo Notícias de Indaiatuba, que administra o grupo.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região
Comentários estão fechados.

Leia também

Salmão com legumes

No tradicional almoço de Páscoa, muitas pessoas buscam nos peixes uma alternativa ao consu…