No dia 25 de novembro é comemorado o Dia Nacional do Doador de Sangue no Brasil, como mais uma forma de incentivo e também para parabenizar os doadores de todo o país.

Durante a pandemia do novo coronavírus, os hemocentros de algumas regiões do Brasil tiveram uma queda de até 50% nas doações. A quarentena e as medidas de isolamento social tiveram um impacto muito grande no nível dos estoques.

LEIA TAMBÉM

Por isso, a Fundação Pró-Sangue junto de hemocentros de todo o país criaram a campanha “Somos todos os mesmo sangue”, com o objetivo é incentivar as doações que salvam tantas vidas em todo o país, ainda mais neste período de pandemia.

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 1,8% da população brasileira é doadora regular. Este índice está abaixo dos 2% definidos pela OMS e também abaixo dos 5% dos parâmetros de doadores registrados em países da Europa.

Leia também:

Estoques regionais

Um exemplo deste reflexo é o Hemonúcleio de Jundiaí que, na semana passada, precisou criar uma campanha para incentivas as pessoas à doarem sangue. De acordo com a Associação Beneficente de Coleta de Sangue (Colsan), o estoque de bolsas da unidade teve uma queda de 40% em outubro.

A média diária de capacidade de coleta do hemonúcleo é de 120 doações. No entanto, a unidade informou que recentemente tem recebido 72 doações diárias, de segunda a quinta-feira. Em geral, às sextas-feiras e sábados, consegue alcançar a meta de 120 bolsas por dia.

Durante a pandemia, o hemonúcleo está seguindo as medidas preventivas necessárias para garantir a segurança e saúde dos doadores na pandemia. O local está fazendo a desinfecção frequente dos ambientes e das cadeiras, equipamentos de proteção individual para os colaboradores. Além disso, o uso de álcool em gel e máscara são obrigatórios.

A Colsan também disponibiliza o aplicativo “Colsan Doe Vidas”, para que os voluntários façam o agendamento das doações em qualquer ponto de coleta.

Quais os critérios para doar sangue?

  • Ter entre 16 e 69 anos (se for menor de idade, é necessária a autorização dos pais e responsáveis);
  • Estar com a saúde em dia;
  • Pesar, no mínimo, 50 kg;
  • Apresentar um documento de identidade oficial, com foto (RG, CNH);
  • Não ter ingerido bebida alcoólica no mínimo 12 horas antes da doação.
  • Não deve estar em jejum;

Quem teve Covid-19 pode ser doador?

  • Pessoas que foram infectadas ou em isolamento indicado por equipe médica pela Covid-19 podem doar sangue apenas após 30 dias da recuperação completa;
  • Quem teve contato com pessoas infectadas nos últimos 30 dias não poderão doar até 30 dias depois do último contato;
  • Se estiver apresentando febre, tosse ou qualquer outro sintoma gripal, podem doar sangue apenas após 30 dias da recuperação completa.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Brasil
Comentários estão fechados.

Leia também

Indaiatuba registra mais 115 casos positivos de Covid-19

A taxa de ocupação dos leitos de UTI é de 71% no Haoc e no Hospital Santa Ignês  LEIA…