A estudante de pedagogia Luana de Oliveira, de 35 anos, se isolou com a avó que estava infectada com o novo coronavírus e acabou morrendo dias depois da idosa. Ela também contraiu o vírus.

Moradora do Guarujá, litoral paulista, a neta cuidava de Izabel Edimunda Bento de Oliveira, de 83 anos, desde quando ela apresentou suspeita da doença.

O irmão de Luana, Lucas Felipe de Oliveira, de 37 anos, disse em entrevista ao portal de notícias ‘G1’ que as mortes aconteceram num intervalo de 13 dias.

Elas moravam na Prainha Branca, que fica distante do Centro do município. Luana fazia parte do grupo de risco, pois tinha bronquite e asma, mas mesmo assim decidiu cuidar da avó.

Lucas disse que após a confirmação dos primeiros casos da doença no vilarejo, Dona Izabel, como era chamada, ficou isolada junto de sua filho, de 62 anos, que “não acreditava” na doença e continuou com sua rotina.

A tomografia mostrou que o pulmão não estava comprometido e, com isso, ela permaneceu em isolamento domiciliar. No entanto, na noite do dia 23 de junho ela precisou ser internada e veio a óbito.

Em seguida, Luana apresentou os primeiros sintomas da doença, mas como não eram graves, ela permaneceu em isolamento domiciliar, mas depois de dois dias precisou ser internada, onde ficou entubada por dois dias antes de falecer, no dia 6 de julho.

A jovem deixa o marido e um filho de seis anos, com traços de autismo. Ambos ficaram longe de Luana neste período.

Com informações do portal de notícias ‘G1’.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Brasil
Comentários estão fechados.

Leia também

Brasileiros desenvolvem teste rápido que antecipa risco de complicações para Covid-19

Um artigo publicado por pesquisadores brasileiros na plataforma científica MedRxiv informa…