Ônibus da Empresa Nossa Senhor de Fátima, do grupo de Belarmino, atual operadora da cidade.

Empresas são rivais desde outras concorrências

ADAMO BAZANI

Como já havia sido anunciado o Diário do Transporte, a licitação do sistema de ônibus de Bragança Paulista, no interior de São Paulo, está sendo acirrada.

Nesta quinta-feira, 24 de outubro de 2019, a prefeitura publicou os recursos movidos entre as concorrentes.

Além da disputa habitual de uma licitação, as três empresas classificadas já se encontraram em outras concorrências e, em alguns, viraram rivais declaradas, como no caso dos grupos de Belarmino de Ascenção Marta e de parte da família Chedid.

Foram classificadas para Bragança Paulista, as seguintes empresas:

– Carretero – Agência de Viagens, Turismo e Fretamentos, que segundo a Jucesp – Junta Comercial do Estado de São Paulo pertence a Belarmino de Ascenção Marta, a sua outra empresa, Nossa Senhora de Fátima Auto-Ônibus Ltda (atual operadora), Embralixo – Empresa Bragantina de Varrição e Coleta de Lixo e Manuel José Rodrigues.

– Sancetur – Santa Cecília Turismo Ltda, que ainda segundo a Jucesp, pertence à Marly Theckla Nassif Abi Chedid e a Mauro Costa Pereira Filho.

– JTP – Transportes, Serviços, Gerenciamento e Recursos Humanos Ltda, de Paulo Henrique Wagner e Tadeu Wagner Júnior, de acordo com registro da Jucesp.

De acordo com a publicação oficial desta quinta-feira, a JTP moveu recurso administrativo contra as habilitações da Carretero e da Sancetur.

Já a Sancetur moveu recurso contra a habilitação da Carretero. A Carretero, por sua vez, foi contra a habilitação da Sancetur.

A Carretero também entrou com recurso contra a JTP.

A prefeitura agora vai analisar todos estes recursos para decidir se mantém ou exclui algumas destas empresas da concorrência.

HISTÓRICO DE RIVALIDADES:

O grupo de Belarmino e a Sancetur travaram uma guerra comercial, nos tribunais e de informações desde que a empresa Citi – Companhia de Transportes de Indaiatuba, cuja razão social é Viação Rápido Sumaré, de Belarmino, foi descredenciada em janeiro de 2018 pela prefeitura de Indaiatuba, que alega que a companhia descumpriu uma série de cláusulas, como operação de ônibus antigos, má conservação da frota, atrasos e quebras constantes.

A empresa que assumiu no lugar foi justamente a  Sancetur – Santa Cecília Turismo Ltda, em um contrato emergencial. Houve uma licitação para a operação de um contrato regular, cuja vitória foi atribuída pela prefeitura à Sancetur. Mas em 31 de julho de 2019, a juíza Erika Folhadella Costa, da Terceira Vara Cível da cidade atendeu ação da West Side Turismos e Viagens Ltda e suspendeu os efeitos da licitação até esclarecimentos sobre a concorrência. A West Side pertence a Belarmino. No dia 30 de agosto de 2019, o juiz José Maria Câmara Junior, da 8ª Câmara de Direito Público de Indaiatuba, no interior de São Paulo, negou recurso da Sacentur e manteve a suspensão. A empresa de parte da família Chedid continua operando emergencialmente.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/08/30/justica-nega-recurso-da-sancetur-e-mantem-decisao-que-suspendeu-licitacao-de-indaiatuba/

Já a JTP se tornou mais conhecida após participar da licitação e assumir os transportes urbanos de Embu das Artes, na Grande São Paulo.

A empresa venceu a concorrência que teve como participante a Expresso Fênix Viação Ltda, que segundo a Jucesp, tem parte da família Chedid como controladora, na figura de Victor Hugo Granziera Abi Chedi, Tereza Regina Granziera Abi Chedi e VHC Comercial e Consultoria Ltda, do grupo.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/03/16/licitacao-dos-transportes-de-embu-das-artes-habilita-expresso-fenix-e-jtp-transportes/

A JTP também apareceu recentemente no noticiário dos transportes também ao entrar com representação junto ao TCE – Tribunal de Contas do Estado de São Paulo que decidiu barrar a concorrência dos transportes de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, onde a família Setti e Braga, tradicional na região, quer continuar a operar.

Diante de mais uma decisão do TCE, o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, revogou a licitação dos transportes. Foi a segunda vez que isso ocorreu na cidade do ABC.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/08/30/prefeitura-de-sao-bernardo-vai-consultar-empresa-para-refazer-edital-da-licitacao-dos-onibus/

Sobre Bragança Paulista, está aberto o prazo para recursos. A próxima fase será a análise das propostas comerciais.

Como mostrou o Diário do Transporte, no final de setembro de 2019, o TCE – Tribunal de Contas do Estado de São Paulo decidiu permitir o andamento da licitação, após a gestão do prefeito Jesus Adib Abi Chedid ter trazido os esclarecimentos pedidos e fez as alterações conforme o determinado pela corte.

A empresa de Belarmino, Nossa Senhora de Fátima, tentou barrar a concorrência apontando supostas irregularidades na licitação.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/09/28/tce-autoriza-prosseguimento-de-licitacao-de-onibus-em-braganca-paulista/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Fonte: Diário do Transporte

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Brasil
Comentários estão fechados.

Leia também

“Fórum de Políticas Públicas do Parlamento Jovem” realiza seu primeiro encontro

            O recém-criado “Fórum de Políticas Públicas do P…