Medida valerá por dois meses; igrejas e templos poderão continuar abertos para orações individuais ou eventos sem plateia

Coletiva de Imprensa

resumo em 3 tópicos

  • Expectativa é de que templos e igrejas cumpram a medida a partir da próxima segunda-feira (23)
  • Recomendação não impede que igrejas e templos permaneçam abertos durante a crise provocada pela pandemia da Covid-19
  • Várias denominações religiosas já vêm adotando espontaneamente a suspensão das celebrações presenciais por todo o mundo

O Governador João Doria recomendou nesta quinta-feira (19) a suspensão de celebrações com público em todos os espaços religiosos da Região Metropolitana de São Paulo por 60 dias. A expectativa é de que templos e igrejas cumpram a medida a partir da próxima segunda-feira (23) como forma de evitar a propagação do novo coronavírus.

Veja também
Guia de prevenção sobre o novo coronavírus
Perguntas e respostas: tire suas dúvidas sobre a doença
Saiba quais as medidas do Governo de SP para o combate ao coronavírus

“A prioridade absoluta do Governo de São Paulo é a proteção de vidas”, disse o Governador. “A recomendação é para que templos e igrejas evitem missas, cultos, aglomerações ou celebrações”, afirmou Doria. Por enquanto, a recomendação não se estende a espaços religiosos do interior e do litoral.

A recomendação do Governo do Estado não impede que igrejas e templos permaneçam abertos durante a crise provocada pela pandemia da Covid-19, doença causada pelo vírus. Os espaços poderão continuar a receber fiéis para orações e orientação religiosa individual, mas segundo regras específicas para amenizar a circulação do coronavírus.

“A medida não significa o fechamento de templos ou espaços de orações”, reforçou o Governador. Doria disse que uma das medidas recomendadas a líderes religiosos é que os fiéis mantenham distância mínima de três metros entre si durante as orações individuais.

Orientação

Até domingo (22), as lideranças de cada espaço religioso deverão orientar as pessoas sobre a impossibilidade de manutenção dos eventos em grupo pelos próximos dois meses. Segundo Doria, a recomendação do Estado não sofreu objeção das diversas denominações religiosas afetadas pela medida.

“Todos têm sido extremamente solidários com as decisões da Prefeitura [de São Paulo] e do Governo do Estado. É por isso que estamos no âmbito da recomendação. É um momento de convergência e bom entendimento solidário”, frisou o Governador.

Várias denominações religiosas já vêm adotando espontaneamente a suspensão das celebrações presenciais por todo o mundo devido à pandemia do coronavírus. Os eventos continuam sendo realizados normalmente, mas sem a presença de público, que acompanha as celebrações via TV ou internet.

“Para nos protegermos de uma infecção viral, devemos evitar aglomerações e o contato próximo com outras pessoas, além da higiene ao lavar as mãos com água e sabão”, explica Viviane Botosso, diretora do Laboratório de Virologia do Instituto Butantan, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Saúde.

YouTube: http://www.youtube.com/governosp
Facebook: https://www.facebook.com/governosp
Vimeo: http://www.vimeo.com/governosp
Mixlr: http://mixlr.com/governosp
Twitter: https://twitter.com/governosp
Linkedin: linkedin.com/company/governosp
Instagram: instagram.com/governosp

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias
Comentários estão fechados.

Leia também

Festival 28º Maio Musical em Indaiatuba tem inscrições abertas para seleção de artistas

Cidade de Indaiatuba seleciona artistas para 28º Maio Musical — Foto: Eliandro Figueira Ri…