Programa Alimento Solidário soma R$ 110 milhões em investimentos e vai beneficiar 4 milhões de pessoas nos 645 municípios de SP

resumo em 3 tópicos

  • Programa Alimento Solidário é nova medida do Governo de apoio à população de baixa renda
  • Ação vai entregar 1 milhão de cestas de alimentos a pessoas em extrema vulnerabilidade social
  • Objetivo é atender famílias cadastradas no CadÚnico com renda de até R$ 89 per capita mensal

O Governador João Doria anunciou, nessa terça-feira (8), o lançamento do programa Alimento Solidário, mais uma medida do Governo de São Paulo para apoio à população de baixa renda no enfrentamento da pandemia do coronavírus.

Veja também
Guia de prevenção sobre o novo coronavírus
Perguntas e respostas: tire suas dúvidas sobre a doença
As medidas adotadas pelo Governo de SP para o combate ao coronavírus

A ação visa entregar 1 milhão de cestas de alimentos a pessoas em situação de extrema vulnerabilidade social, nos 645 municípios do Estado.

“O Alimento Solidário é o programa do Governo de SP que vai distribuir 1 milhão de cestas de alimentos a 4 milhões de pessoas em situação de pobreza. Todo o investimento para essas cestas, de mais de R$ 100 milhões, vem do setor privado. É uma contribuição de 48 dirigentes, de empresas brasileiras e internacionais, solidários com os que mais precisam neste momento”, destacou o Governador.

O projeto Alimento Solidário foi articulado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, com apoio do Fundo Social de São Paulo, Secretaria de Desenvolvimento Econômico e InvestSP. A distribuição das cestas deve ser iniciada a partir do dia 17 de abril na capital, seguida pelos municípios da Região Metropolitana de São Paulo, interior e litoral.

A intenção é levar alimento a todas as famílias cadastradas no CadÚnico (cadastro federal oficial para inclusão em programas de assistência social e transferências de renda), que possuem renda de até R$ 89,00 per capita mensal. Para receber a cesta, o beneficiário deverá apresentar o Número de Identificação Social (NIS).

A distribuição das cestas será feita com apoio da Rede de Assistência Social Municipal e das Diretorias Regionais de Assistência Social. O programa deve ter ampla capilaridade com pontos de distribuição nos bairros das famílias beneficiadas.

Alimentos

A cesta de alimentos foi elaborada em parceria com a equipe de nutricionistas do Hospital Israelita Albert Einstein, liderada pela nutricionista Luci Uzelin. A caixa contém sete fontes de proteínas diferentes (feijão, lentilha, leite em pó, sardinha, charque, linguiça e ervilha), além de outros produtos (como arroz, farinha, macarrão e biscoitos, entre outros) suficientes para a alimentação de uma família de quatro pessoas por um mês.

Durante o período da pandemia do coronavírus, o Governo de São Paulo já lançou vários projetos de apoio à população de baixa renda, inclusive de distribuição de alimentos. Entres eles estão, por exemplo, o Bom Prato Express, o Merenda em Casa e a ampliação do Vivaleite.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias
Comentários estão fechados.

Leia também

Indaiatuba registra sexta morte provocada pelo novo coronavírus

Indaiatuba (SP) confirmou na tarde deste sábado (2) a sexta morte provocada pelo novo coro…