O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Justiça e Cidadania e a Fundação Itesp, doará 10 mil cestas básicas para famílias carentes. A aquisição de alimentos da agricultura familiar será realizada pelo Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep).

O convênio foi assinado pelo secretário da Justiça e Cidadania, Paulo Dimas Mascaretti, e pelo diretor executivo da Fundação Itesp, Claudemir Peres.

O objetivo do convênio é minimizar os impactos da suspensão de serviços públicos e da desaceleração da economia e oferecer apoio aos produtores rurais assentados e remanescentes de quilombos, beneficiários dos programas desenvolvidos pela Fundação Itesp, garantindo o acesso à alimentação adequada e à segurança nutricional para comunidades hipossuficientes.

Ao todo, serão montadas 10 mil cestas com 20 quilos cada. Serão distribuídas 200 toneladas de alimentos. As cestas contêm 12 itens de primeira necessidade, cinco são obrigatórios: 5 quilos de arroz, 2 quilos de feijão, 1 quilo de açúcar,1 quilo de sal e 900 ml de óleo de soja. Os demais itens enviados serão provenientes das unidades de produção familiar, a exemplo de farinha de mandioca, legumes e frutas diversas da época, levando-se em conta a perecibilidade dos produtos ofertados.

“As cestas serão entregues ao Programa do Governo do Estado Alimento Solidário, articulado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, para apoiar a população de baixa renda no enfrentamento à pandemia do coronavírus”, explicou o secretário da Justiça e Cidadania, Paulo Dimas Mascaretti.

Segundo o diretor executivo da Fundação Itesp, Claudemir Peres, o momento atual é de ajudar as famílias mais necessitadas. “Propomos uma ação de comercialização para viabilizar e potencializar a produção local, o que auxiliará na mitigação dos efeitos das ações de combate à pandemia, com isso beneficiaremos as comunidades hipossuficientes em situação de insegurança alimentar”, disse.

Ação social

A Fundação Itesp efetuará a compra das cestas básicas fornecidas pelos agricultores familiares assentados e remanescentes de quilombos no estado e realizará o mapeamento das cadeias produtivas por região, identificando a capacidade de abastecimento, logística e sazonalidade.

A instituição ficará responsável por mobilizar os produtores rurais e orientá-los quanto aos critérios de participação na comercialização, como qualidade, quantidade e periodicidade de entrega dos produtos.

A instituição presta assistência técnica e extensão rural a milhares de produtores familiares assentados e remanescentes de quilombos e possui larga experiência na formulação e na gestão de políticas públicas e programas de desenvolvimento para esses públicos.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias
Comentários estão fechados.

Leia também

Viracopos e Rodoviária de Campinas estimam fluxo de 193 mil passageiros no feriado de Finados

O Terminal Rodoviário de Campinas (SP) e o Aeroporto Internacional de Viracopos estimam a …