Quer receber as principais Notícias de Indaiatuba pelo Whatsapp?
Inscreva-se agora.
Para participar, basta adicionar nos seus contatos o número (19) 98122-4163 e enviar uma mensagem pelo WhatsApp

O paraciclista goiano Victor Luise se prepara para participar de mais competição internacional. Desta vez, ele embarcará com a delegação brasileira para o Canadá, para o Mundial de Pista de Milton, cidade que fica a 40 quilômetros de Toronto. As provas serão realizadas de 30 de janeiro a 2 de fevereiro. Antes, segue para Indaiatuba (SP) no próximo dia 20 para uma semana de pré-treinos.

Esta é mais uma das competições que vem somando pontos classificatórios para o atleta, que segue na busca por uma vaga para as Paralimpíadas de Tóquio, no Japão. Com a pontuação atual, ele está entre os três favoritos para integrar a Seleção Brasileira para os Jogos Paralímpicos, segundo o ranking da Union Cycliste Internationale (UCI).

“Estou confiante e treinando muito para conseguir esta oportunidade de representar meu país em Tóquio. Será a concretização de um sonho, resultado desse que é um trabalho diário, que requer dedicação, foco e determinação”, revela Victor Luise. Neste ano, a previsão é que o paraciclista esteja na delegação brasileira em competições em quatro países, cinco estados brasileiros e em mais de 20 cidades.

Jornada

Desde 2018, Victor vem treinando forte e participando de competições nacionais e internacionais. Nos últimos dois anos, pedalou na Itália, Bélgica, Holanda e no Brasil, nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Hoje, o paraciclista mantém os títulos de tricampeão brasileiro de Paraciclismo de Estrada e Contrarrelógio categoria C2 (CBC), campeão no Circuito Pan-Americano de Paraciclismo de Estrada e Contrarelógio C2, vice-campeão mundial MTB 24 horas, e ocupa o 13º lugar no ranking internacional da UCI.

Conheça Victor Luise

Em 2000, aos 18 anos, Victor Luise sofreu um acidente de moto e teve a perna direita amputada. Dois anos depois, iniciou sua trajetória profissional no esporte através do halterofilismo. A migração para o ciclismo começou em 2014. No ano seguinte, após uma luxação no braço, foi totalmente impedido de levantar pesos e, desde então, se dedica exclusivamente às bicicletas.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias
Comentários estão fechados.

Leia também

Fatecs divulgam segunda lista de convocação do Vestibular

Informação está disponível apenas na Faculdade de Tecnologia onde o candidato pretende est…