SEXTA, 29/05/2020, 17:27País

Os nove municípios do litoral tinham sido incluídos na fase vermelha, a mais restritiva. Após os prefeitos apresentarem incremento de leitos de UTI para pacientes com Covid-19, o governo concordou em passar a região para a fase laranja, que dá autonomia para prefeitos retomarem algumas atividades. A gestão Doria dividiu a Grande SP em cinco regiões, além da capital.

  • DURAÇÃO: 00:03:47

Plano de retomada de SP leva em conta Departamentos Regionais de Saúde (Foto: Governo de SP) (Crédito: )

Plano de retomada de SP leva em conta Departamentos Regionais de Saúde (Foto: Governo de SP)

Por Leandro Gouveia (leandro.gouveia@cbn.com.br)

A nova divisão da Grande São Paulo para a retomada da economia se baseia nas Redes Regionais de Atenção à Saúde. Além da capital, a Região Metropolitana é dividida em Grande ABC; Alto Tietê, onde está Guarulhos; Bacia do Juqueri, que inclui Franco da Rocha; Rota dos Bandeirantes, onde fica Osasco; e Mananciais, onde está Taboão da Serra.

A fragmentação foi um pedido dos prefeitos que ficaram descontentes com o tratamento diferenciado dado à capital paulista na nova fase da quarentena. Das 39 cidades, só São Paulo foi classificada na fase 2, laranja, que permite à Prefeitura adotar medidas para a retomada de algumas atividades.

Agora, cada microrregião será avaliada separadamente, e poderá avançar de fase sem depender de outros municípios.

O governo do estado também aceitou reclassificar a Baixada Santista para a fase laranja após prefeitos apresentarem o incremento de novos leitos de UTI.

O governador João Doria nega que esteja cedendo à pressão de prefeitos:

“Essa subdivisão não é para afrouxar, é para ajustar. E o governo de São Paulo não se submete a pressão de forma alguma: nem de prefeitos, nem de parlamentares, nem de presidente da República, e muito menos de empresários. Aqui nós nos rendemos e seguimos a orientação da ciência”.

Uma região só pode avançar para uma fase mais branda da quarentena se atender aos critérios de leitos de UTI e crescimento de novos casos, mortes e internações.

Segundo o governo do estado, os índices de evolução da pandemia são equivalentes na capital e nas demais cidades da Grande São Paulo.

O que essas microrregiões precisam melhorar, segundo o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, é a capacidade hospitalar:

“Nós vamos trabalhar o avanço disso em conjunto. Na primeira aferição, que será na próxima terça-feira, e daí anunciada na quarta-feira, nós vamos verificar esses dados de todo o estado de São Paulo, e daí, de 7 em 7 dias nós vamos atualizando. Portanto, a questão fundamental da Região Metropolitana é a capacidade hospitalar”.

No Alto Tietê, a cidade de Guarulhos possui taxa de ocupação perto de 100%. O presidente do consórcio que reúne os municípios da região e prefeito de Guararema, Adriano Leite, disse que as cidades trabalham pra ampliar o número de leitos:

“Nós temos, além dos 198 leitos que o governo se comprometeu a inserir na nossa região no mês de junho, em três hospitais regionais, os prefeitos também estão adicionando leitos nas redes municipais, adquirindo leitos também de rede particular, que foi o caso aqui de Guararema, e eu tenho certeza que esse quantitativo vai atingir a meta necessária para mudar para a fase 2”.

A situação é mais confortável no Grande ABC, onde todos os municípios têm taxa de ocupação abaixo de 70%. Na fase laranja, é preciso que o índice esteja entre 60 e 80%.

O consórcio que reúne as cidades da Região Oeste, onde fica Osasco, também alega que os 11 municípios juntos possuem taxa menor do que a da capital.

A região da Bacia do Juqueri, onde fica Franco da Rocha, está com índice de ocupação próximo de 90%, e permaneceria na fase vermelha. A Região Sudoeste, onde fica Taboão da Serra, não enviou os dados para a reportagem.

Receba as “Notícias De Indaiatuba’ no Seu WhatsApp Os leitores que solicitarem o serviço gratuito irão receber, direto nos seus aplicativos, as principais notícias do dia. Estar sempre conectado aos aplicativos de mensagens instantâneas, como o WhatsApp, não significa estar desinformado. Com o Notícias de Indaiatuba, você pode receber diariamente as principais notícias do dia no seu celular. Para participar, basta adicionar nos seus contatos o número (19) 98122-4163 e enviar uma mensagem pelo WhatsApp, enviando a palavra “Notícias de Indaiatuba” (quem já é adepto do serviço continuará recebendo as notícias pelo número divulgado anteriormente). O esquema de envio será via lista de transmissão. Isso significa que os leitores que optarem por receber o conteúdo só serão notificados pelo Notícias de Indaiatuba, que administra o grupo.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região
Comentários estão fechados.

Leia também

Industria de Indaiatuba seleciona funcionários para Operador Multifuncional

Industria situada no American Park Empresarial NR está com 4 oportunidades de trabalho par…