Viracopos é uma das 55 empresas a assumir compromisso ambiental

Cedoc/RAC

Viracopos é uma das 55 empresas a assumir compromisso ambiental

A concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, administradora do Aeroporto Internacional de Viracopos, anunciou que é uma das 55 empresas do Estado que integram o “Acordo Ambiental São Paulo”, iniciativa para redução de emissão de gases de efeito estufa e incentivo às ações de sustentabilidade.

O projeto foi lançado na semana passada pelo Governo do Estado, por meio das Secretarias de Infraestrutura e Meio Ambiente, Relações Internacionais e da Cetesb. O acordo já conta com a assinatura de 55 empresas comprometidas com o envio de informações relativas ao balanço das emissões para que a Cetesb avalie e auxilie na elaboração de planos de mitigação.

A adesão voluntária será renovada automaticamente até 2030 e pretende induzir a redução de gases poluentes nos próximos 20 anos. Também prevê o reconhecimento dos signatários como membros da comunidade de líderes em mudanças climáticas, além do apoio técnico governamental.

A diretora-presidente da Cetesb, Patrícia Iglecias, ressaltou que “esta ação incentivará a implementação de novas tecnologias e soluções inovadoras, realçando o protagonismo do Estado na agenda climática, que pode ser visto em seus programas de qualidade do ar e, em especial, nos protocolos assinados e implementados ao longo dos anos com o setor sucroenergético”.

Segundo a diretora da Cetesb, o principal desta iniciativa é que temos acordos voluntários, sem novas implicações legais, baseado em práticas inovadoras voltadas para a eficiência energética, eficiência hídrica, redução de emissões e responsabilidade socioambiental.

A ação do governo estadual lançada na última sexta-feira reafirma o compromisso do governo estadual em cumprir o Acordo de Paris, um tratado no âmbito da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (CQNUMC), que rege medidas de redução de emissão de gases estufa a partir de 2020, a fim de conter o aquecimento global abaixo de 2ºC, preferencialmente em 1,5ºC, e reforçar a capacidade dos países de responder ao desafio, num contexto de desenvolvimento sustentáve.

Escrito por:

Agência Anhanguera de Notícias

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região
Comentários estão fechados.

Leia também

“Não entenderam que a pandemia continua no seu auge”, alerta cientista

Enquanto o Brasil enfrenta média diária de mais de mil mortes por Covid-19 e tem sucessivo…