O governo federal informou na noite desta quinta-feira (24) que o presidente Jair Bolsonaro editou duas medidas provisórias para garantir a participação do Brasil na Covax Facility, programa coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para impulsionar o desenvolvimento e garantir a compra de vacinas contra a Covid-19.

De acordo com o governo, uma das medidas trata da “adesão ao Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19 (Covax Facility)”, enquanto a segunda MP trata da liberação de cerca de R$ 2,5 bilhões para bancar os custos do ingresso no programa.

LEIA TAMBÉM

O prazo da OMS para aderir à iniciativa terminou na sexta-feira (18), mas o Brasil pediu uma extensão do prazo e, na sequência, confirmou a intenção de participar da iniciativa.

2 bilhões de doses

A expectativa da OMS é que países financiadores ajudem no desenvolvimento e compartilhem o possível sucesso das vacinas com países mais pobres. A OMS diz que a iniciativa deve beneficiar cerca de 90 outros países com menos possibilidades econômicas ou sistemas de saúde mais fracos.

De acordo com a OMS, a Covax tem 9 candidatas à vacinas no portfólio e a expectativa é que ao menos 2 bilhões de doses sejam compradas de diferentes fornecedores e distribuídas aos países membros.

Leia também:

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Saúde & Bem Estar
Comentários estão fechados.

Leia também

Viracopos e Rodoviária de Campinas estimam fluxo de 193 mil passageiros no feriado de Finados

O Terminal Rodoviário de Campinas (SP) e o Aeroporto Internacional de Viracopos estimam a …