Nesta quarta-feira (13), pela primeira vez o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, garantiu que a vacinação contra Covid-19 no Brasil vai começar este mês. Durante um pronunciamento em Manaus (AM), o ministro afirmou: “Vamos vacinar em janeiro”.

De acordo com ele, 8 milhões de doses do imunizante, desenvolvidos pela Universidade de Oxdord/AstraZeneca e pelo Instituto Butantan/Sinovac farão parte da vacinação em massa.

LEIA TAMBÉM

“A vacina será distribuída simultaneamente em todos os estados na sua proporção de população”, acrescentou Pazuello. Até o momento, o ministério tem 6 milhões de doses da Coronavac disponíveis. Além disso, aguarda a chegada de 2 milhões de doses da vacina da Oxford/AstraZeneca, disponibilizadas por um fornecedor da Índia.

Segundo o ministro, a entrega ocorrerá nos próximos dias. “Hoje decola o avião para ir buscar as 2 milhões de doses na Índia. É o tempo dia viajar e trazer. Já está com documento de exportação pronto. Data de decolagem [da Índia ao Brasil] para o dia 16.”

Assim, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) marcou uma reunião para este domingo (17), com a Diretoria Colegiada. Nesta reunião, a agência dará os pareceres sobre os pedidos de uso emergencial dos lotes das duas vacinas.

Início do plano de vacinação

Ainda de acordo com Pazuello, “em três ou quatro dias” depois da liberação da Anvisa, as vacinas estarão nos estados brasileiros. Dessa forma, se não houver atrasos por parte da Anvisa, a vacinação pode começar já na próxima semana.

“São 8 milhões de doses em janeiro. Em uma pernada, somos o país que mais imuniza no mundo, em janeiro. Sem contar, fevereiro, março, abril, maio, junho… que entram as grande quantidades de vacina. Nós somos o país que mais imuniza no mundo, sempre fomos. Temos o maior programa de imunização do mundo.”

Assim, somando as doses da vacina de Oxford produzidas pela Fiocruz, e as vacinas da Sinovac produzidas pelo Instituto Butantan, é previsto que até o fim do ano, o Brasil tenha 354 milhões de doses dos imunizantes contra a Covid-19.

Leia também:

Com informações do R7.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Destaque
Comentários estão fechados.

Leia também

Coca-Cola FEMSA tem vagas de empregos temporários em Jundiaí

A multinacional alemã Henkel, considerada uma das empresas mais amadas para se trabalhar n…