O ator Cameron Boyce morreu neste último sábado (6), pegando todos os seus fãs de surpresa. Com apenas 20 anos de idade, o ator já era bem conhecido no mundo do entretenimento, tendo atuado na franquia Descendentes, dos estúdios Disney.

O jovem ator foi encontrado desacordado em sua residência e, segundo informações emitidas por um porta-voz de sua família, e que também foi publicado na revista People, a morte de Boyce foi decorrente de uma epilepsia com a qual ele já convivia.

O comunicado dizia que ele morreu dormindo por conta da convulsão, uma enfermidade crônica que ele já estava tratando. Porém, posteriormente, o pai disse que era por conta da epilepsia. Essa notícia desperta muita atenção sobre um caso que é pouco comentado, mas muito perigoso, a SUDEP.

A SUDEP, sigla para “Sudden Unexpected Death in Epilepsy”, que traduzido ao pé da letra é “Morte Súbita Inesperada em Epilepsia”, é o nome dado à morte que ocorre por conta dessa doença, sem que tenham vestígios de evidências anatômicas ou toxicológicas que informem o motivo da morte. Esse assunto não é muito discutido com pessoas que têm essa doença nem com suas famílias, mas falar sobre isso pode ajudar a salvar vidas.

Segundo a OMS, a epilepsia é uma doença crônica que atinge as descargas elétricas que permitem o bom funcionamento do cérebro, ocorrendo de forma incomum ou excessiva. Com isso, o corpo apresenta algumas convulsões.

A SUDEP é uma das principais causas da morte de pessoas que têm essa enfermidade, e segundo o médico Fulvio Scorza, ela é classificada como uma morte que acontece de maneira sem trauma e as vezes a pessoa pode apresentar sinais de convulsão antes de vir a óbito.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Saúde & Bem Estar
Comentários estão fechados.

Leia também

Após quase 10 horas bloqueada, marginal do Tietê é liberada

Após quase dez horas bloqueada por causa da queda de uma passarela, a Marginal Tietê, sent…