O governador João Doria anunciou que o estado de São Paulo irá receber 46 milhões de doses da Coronavac em 40 dias. De acordo com Doria, a vacina é necessária e “só ela garantirá a volta à normalidade de todos nós, jovens e não jovens de todas as regiões do país”.

Na quinta-feira (19), um avião turco pousou no Aeroporto Internacional de Cumbica, em São Paulo, com 120 mil doses do imunizante. A Coronavac está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria do Instituto Butantan.

LEIA TAMBÉM

Além disso, o governador aproveitou para cobrar um “esforço concentrado pelas vacinas, sem excluir nenhuma”, do governo federal.

“Fazer um grupo de trabalho no Ministério da Saúde, envolvendo outros ministérios se necessário, governos estaduais, para que as vacinas, mediante aprovação da Anvisa, sejam colocadas imediatamente no sistema nacional de imunização”, acrescentou.

Ainda no dia 20 de outubro, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou um acordo para a compra das 46 milhões de doses da vacina. No entanto, no dia seguinte do anúncio, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a compra seria cancelada. Assim, a compra dos imunizantes está sendo motivo de desavenças entre o governador João Doria e o presidente Jair Bolsonaro.

A Coronavac já está em sua terceira fase de testes clínicos e depende da autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser disponibilizada à população.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Saúde & Bem Estar
Comentários estão fechados.

Leia também

Expectativa de vida dos brasileiros sobe para 76,6 anos, diz IBGE

Os brasileiros estão vivendo mais. Em média, são 76,6 anos de acordo com levantamento das …