Cientistas da Fiocruz Amazônia descobriram uma nova variante inédita do novo coronavírus, com origem no Amazonas. A nova cepa foi identificada em pacientes japoneses, e essas mutações criaram uma provável nova linhagem brasileira do vírus.

De acordo com os estudiosos, ainda não é possível ter certeza, mas essas mutações encontradas podem significar um maior poder de transmissão. Isso porque as duas importantes mutações foram descritas simultaneamente na proteína Spike.

LEIA TAMBÉM

Essa proteína faz a ligação do vírus às células do organismo, e está relacionada a capacidade de transmissão do Sars-CoV-2.

Segundo os dados dos estudos, a linhagem B.1.1.28, presente em todo o Brasil, é a mais frequente no Amazonas e sofreu várias mudanças.

“Os japoneses colocaram os dados do sequenciamento no banco de dados internacional, e as amostras colhidas agrupam com as nossas aqui. É o mesmo vírus, mas com muitas mutações”, disse o pesquisador da Fiocruz Amazônia, Felipe Naveca.

Atualmente, Manaus está vivendo um período de calamidade, passando por uma segunda onda de casos e hospitalizações. Os números de casos e mortes tem o crescimento mais acelerado que na primeira fase da pandemia.

“Acredito que essas mutações possam ser parte da explicação para essa explosão de casos aqui no Amazonas. Mas nós sabíamos que o número de casos iria aumentar porque as pessoas não estavam fazendo distanciamento; nos dias 26 e 27 de dezembro houve protesto porque o governador mandou fechar o comércio, houve as festas de fim de ano. E o sistema de saúde do estado já estava fragilizado, é uma situação multifatorial a meu ver”, comenta Naveca.

Com informações do UOL Notícias.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Destaque
Comentários estão fechados.

Leia também

Coca-Cola FEMSA tem vagas de empregos temporários em Jundiaí

A multinacional alemã Henkel, considerada uma das empresas mais amadas para se trabalhar n…